terça-feira, 28 de abril de 2009

Vidro quebrado é pó

Silencio
Desconforto das conversas passadas
Incomodo na garganta das palavras não ditas
Lembranças
Cheiro de mofo e dor de sensações perdidas
Momentos
Embalsamados no suor de noites de chocolate
Saudade
Dos sorrisos desenhados, emoldurados na memória.
Olhos apagados, espelho sem aço.
Falta o ar
Vertigem do fim
Erros inocentes, erros cruéis, erros irremediáveis.
Vidro quebrado é pó.

Um comentário:

Luz disse...

Gisely
Faça desse pó um novo vidro.
Ou o vidro novamente.
E um vidro mais belo, mais rico.
Adorei o blog, voltarei também.
Beijinhos